Como os hormônios vegetais podem ser usados no treino?

Como os hormônios vegetais podem ser usados no treino?


hormônios vegetais

A palavra “hormônio” tem origem grega e significa “mensageiro químico”. Os hormônios vegetais, também conhecidos como fitormônios, são as substâncias responsáveis pelo desenvolvimento e crescimento das plantas. Eles atuam em pequenas quantidades e modificam células específicas.

Atualmente, muitos atletas têm lançado mão do uso de fitormônios em seus treinos buscando os benefícios que eles são capazes de fornecer, como aumento muscular, melhora no condicionamento físico e aumento da libido. As pessoas têm encontrado nos hormônios vegetais importantes aliados no ganho de massa muscular e desenvolvimento de seus treinos.

Ficou curioso para saber mais sobre os hormônios vegetais e de que forma eles podem te ajudar nos seus treinos? Então continue a leitura que vamos te ajudar nessa tarefa!

O que são os hormônios vegetais?

Imagine um casal de namorados que faz um coração em uma árvore de, mais ou menos, um metro de altura. Então esse casal se separa, e quando um deles vai até o local apagar, a árvore está três metros maior, mas o coração encontra-se no mesmo lugar. Nesse processo conseguimos ver a ação dos hormônios vegetais e de que modo se dá o crescimento das árvores.

Como citado anteriormente, os fitormônios são as substâncias responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento dos vegetais e plantas. Eles atuam na modificação celular desses seres vivos.

São eles os responsáveis por tornar algumas árvores enormes e frondosas e outras de pequeno porte e sem tantos galhos. Eles atuam regulando as divisões celulares e outras modificações desse gênero nos vegetais, sendo separados em grupos de hormônios com funções específicas cada.

Quais os grupos existentes?

Os principais grupos de fitormônios são:

  • auxina;
  • citocinina;
  • giberelina;
  • ácido abscísico;
  • gás etileno.

Esses principais agrupamentos de hormônios vegetais têm funções específicas nas plantas e, de acordo com suas singularidades e destinações, atuam na modificação da estrutura e composição dos vegetais. Vamos conhecê-los melhor!

Auxinas

As auxinas foram um dos primeiros hormônios vegetais a serem estudados pelo homem. Eles são produzidos naturalmente pelas plantas, mas também têm sido fabricados em laboratório há algum tempo.

Sua principal função é promover o crescimento e alongamento celular, sendo produzidas nas extremidades do caule, em folhas jovens e sementes em desenvolvimento. Os tipos de vegetais que são estimulados com auxina apresentam uma robusta dominância apical (o que significa, em geral, que são altas e resistentes), poucos ramos laterais e, em sua maioria, frutos sem sementes.

O estudo das auxinas foi realizado em meados do ano de 1881 por ninguém menos que o cientista Charles Darwin. Ele comprovou que o ápice do caule tem tendência maior de crescimento se estiver contrário à direção da luz. Mais tarde, observou-se que, quando apenas uma parte da planta está direcionada para a luz, as auxinas existentes migram para a parte mais escura, promovendo a curvatura existente em algumas plantas.

Outra função essencial das auxinas nos vegetais é promover a queda de folhas, flores e frutos, ou seja, a separação da estrutura descrita do restante do corpo da planta.

Giberelinas

As giberelinas são um grupo de hormônio vegetal produzido por meio de folhas e tecidos jovens do caule, em sementes que estão em processo de germinação e nos frutos. Suas funções se assemelham às auxinas e também estão relacionadas ao crescimento da planta.

Esse hormônio vegetal atua no crescimento rápido do caule em decorrência de divisão e alongamento celular. Tipos de plantas que apresentam baixa estatura física e largura reduzida apresentam baixos graus de giberelina em sua composição.

Citocininas

As citocininas são um grupo de hormônios vegetais que atuam em subdivisões em que há divisão celular intensa. Esses hormônios são encontrados em grandes quantidades em sementes que estão germinando, nas extremidades das raízes e em frutos e folhas em desenvolvimento.

Sua principal funcionalidade é atuar na regulação do crescimento vegetal,  normalizando o seu desenvolvimento de acordo com suas características, bem como as especificidades de solo e clima da região onde se encontram.

Outra característica marcante das citocininas é que, ao contrário das auxinas, que promovem o crescimento vertical, elas promovem o crescimento lateral das plantas, estimulando o desenvolvimento das chamadas gemas laterais. Uma ação delas que pode ser marcante para humanos é que elas atuam promovendo a retenção de substâncias como aminoácidos no interior das células, o que contribui para retardar o envelhecimento.

Ácido abscísico

O ácido abscísico é  promovido especialmente nas folhas  e nas extremidades da raiz e do caule. Sua ação se difere das demais espécies de grupos de hormônios apresentados, visto que refreia o desenvolvimento da planta, provocando a dormência das gemas e sementes. Ele provoca envelhecimento de estruturas do vegetal e tem atuação mais destacada nos períodos que a planta carece mais de água, como inverno e secas.

Gás etileno

O gás etileno é o último entre os principais grupos de hormônios vegetais. Sua função primordial é o amadurecimento de frutos e promoção de quedas de folhas. É muito usado por comerciantes que buscam aquele benefício na sua produção.

Como esses hormônios podem ser usados no treino?

Os suplementos alimentares com base vegetal vêm ganhando muito espaço entre os praticantes de exercícios físicos. Eles têm como principal atrativo a capacidade de equilibrar hormônios masculinos e femininos. Alguns dos benefícios verificados desse tipo de suplementação incluem:

  • equilíbrio dos hormônios sexuais nos homens e nas mulheres;
  • aumento da libido;
  • desenvolvimento da massa muscular;
  • combate aos efeitos do envelhecimento, entre outros.

Alguns alimentos são ricos em fitormônios, mas eles podem ser manipulados e preparados conforme a dose necessária para cada indivíduo. Verifique com seu nutricionista a dose diária de hormônios vegetais que você pode incluir na sua dieta.

Que cuidados você deve ter com eles?

É fundamental ressaltar que os hormônios vegetais são tipos de suplementação exógena e exigem, além de prescrição médica ou nutricional, alguns cuidados.

Como qualquer tipo de composto, podem ser apresentadas reações adversas, sobretudo em gestantes e lactantes, idosos e pessoas com problemas hepáticos e de coagulação. Por isso, não se esqueça de conferir com seu médico ou profissional responsável pela indicação do hormônio vegetal que tipo de ajustes ou restrições o indivíduo terá que se submeter durante o uso dessas substâncias.

Portanto, percebemos que os hormônios vegetais podem ser valorosos aliados em nossos treinos. Seus benefícios vão desde o aumento da massa muscular até o equilíbrio hormonal. No entanto, é essencial que eles sejam indicados por um profissional da área da saúde e que cuidados sejam tomados na administração para garantir os resultados.

Se você gostou desse post e deseja saber como levar ainda mais vantagens para seus treinos, não deixe de baixar nosso e-book gratuito sobre nutrição esportiva!

Autor: André Alves da Silva

Criador da nutrição esportiva em farmácias de manipulação no Brasil. Sócio e CEO da Órion Farmácia de Manipulação Esportiva.

(0) Comentários

Deixe um comentário