Glutamina: O que você precisa saber

Glutamina: O que você precisa saber


Glutamina

Ainda encontramos quem diga (erroneamente) que a suplementação serve apenas para pessoas que fazem academia e querem aumentar o volume de massa muscular. Mas hoje sabemos que a prática vai muito além disso.

Complementar a dieta, ajudando o corpo a trabalhar melhor, é fundamental para a qualidade de vida e longevidade, sendo a suplementação com glutamina uma das principias formas de fortalecer nosso organismo.

A glutamina é um aminoácido livre, produzido por nosso próprio corpo e encontrado em abundância no plasma e no tecido muscular. Ela tem como função preservar a integridade da parede intestinal, melhorando as funções do órgão e, ainda, garantindo uma fonte energética ao sistema imunológico e à síntese proteica.

Achou interessante? Acompanhe o conteúdo abaixo para descobrir como a glutamina pode evitar doenças, melhorar as funções do organismo e otimizar seu ganho de massa muscular.

Como a glutamina funciona em nosso organismo?

Glutamina

A glutamina tem a capacidade de fornecer energia às células do intestino, aprimorando suas funções. Ela também modula a função imunológica e a produção de citocinas (moléculas que são ativadas para responderem às atividades de diversos tipos celulares). Sua deficiência pode gerar quebra da barreira intestinal e susceptibilidade a infecções, fazendo com que o nosso sistema imunológico fique debilitado.

Na corrente sanguínea, esse aminoácido é o responsável pelo transporte de amônia e nitrogênio. Nos músculos, por ficar armazenado em suas proteínas, é liberado para a reparação do tecido muscular e de outros tecidos que estiverem deficientes da substância. Assim, a glutamina pode ser usada para evitar o catabolismo em exercícios físicos e casos de cirurgias, infecções, queimaduras ou traumas.

Quais são os benefícios do uso regular?

Glutamina

A saúde do nosso organismo é extremamente afetada por maus hábitos e pela rotina, como a falta de atividades físicas, o consumo desenfreado de medicamentos, o uso de cigarro ou álcool, a ansiedade, o estresse e a depressão. Para minimizar esses efeitos prejudiciais, é recomendado adotar a suplementação com glutamina.

Famoso entre os praticantes de atividades físicas, o aminoácido tem a capacidade de manter o funcionamento regular do metabolismo e auxiliar na reparação de lesões esportivas que são ocasionadas por exercícios de alta intensidade. Melhorando a saúde intestinal, haverá uma maior absorção de nutrientes — principalmente das proteínas.

A glutamina é essencial de tal maneira que um dos passos fundamentais no processo de emagrecimento é a regeneração das células intestinais (que, com a obesidade, ficam em desequilíbrio). Caso não sejam restabelecidas, existe uma grande chance de que a pessoa com sobrepeso volte a engordar.

Listamos outros benefícios da glutamina para o nosso corpo. Confira:

  • equilibra o pH (ácido-básico);
  • ajuda a combater as células cancerígenas;
  • é antioxidante;
  • recupera as lesões musculares;
  • é anticatabólica (na forma dipeptídio);
  • conserva a integridade da mucosa;
  • regula o intestino e a glicemia;
  • melhora a resistência muscular;
  • atua nas atividades cerebrais;
  • reforça o sistema imunológico;
  • é fonte de energia celular.

Para os adeptos das dietas com baixo consumo de carboidratos, é importante esclarecer que a suplementação com glutamina otimiza a síntese de glicogênio, aumentando a disposição afetada pela falta dos sacarídeos. Já nas dietas hiperproteicas, há uma ajuda no controle do ácido básico sanguíneo, pois as proteínas acidificam o sangue e reduzem o pH.

Como esse aminoácido deve ser consumido?

Glutamina

Vale ressaltar que, apesar de encontrarmos a glutamina em alimentos como carnes, peixes, ovos e queijos (ou mesmo no whey protein), é importante haver uma ingestão maior. A mais indicada é em pó, devido à rápida absorção.

Normalmente, é recomendado o uso de 5 g em 150 ml de água ou outra bebida. Se o objetivo principal for a melhora da saúde intestinal, é indicado o consumo em jejum, juntamente ao suco de limão — sem açúcar ou adoçante — e acompanhado por probióticos.

Para os indivíduos que buscam uma otimização dos treinos de alta intensidade e a recuperação dos músculos, a glutamina pode ser útil no pós-treino. Lembre-se de que ganhar volume muscular e definição não é tarefa fácil, portanto os exercícios devem estar bem direcionados e os hábitos alimentares precisam se adequar ao seu objetivo.

O uso de glutamina pode ser simultâneo ao consumo de outros suplementos. A laxosterone (hormônio vegetal) e a creatina, por exemplo, formam uma ótima combinação para os atletas que buscam ganho de massa muscular e querem aumentar a rapidez dos resultados. Já a associação com Morosil é indicada a quem tem o objetivo de emagrecer e precisa de auxílio no combate às altas taxas de colesterol.

Antes de começar a introduzir qualquer tipo de suplementação na sua dieta, é necessário contar com o acompanhamento de um profissional habilitado, como médicos, nutricionistas e farmacêuticos. Cada pessoa tem um objetivo, portanto as quantidades e os horários devem ser estabelecidos de acordo com o caso, levando em conta o dia a dia, os exames clínicos, a rotina de exercícios e a composição corporal.

Quais são os efeitos colaterais?

A suplementação desse importante aminoácido, quando indicada, deve ser individualizada. Cada caso requer uma avaliação, pois, ainda que a prática dê bons resultados em geral, pode ser ruim para você — principalmente se fizer o uso inadequado ou de produtos com baixa qualidade.

A utilização de doses equivocadas ou incorretamente indicadas de glutamina pode provocar efeitos indesejados. Vejamos alguns:

  • prisão de ventre;
  • distribuição irregular de aminoácidos no organismo;
  • diminuição da produção natural de glutamina pelo corpo.

Vale lembrar também que, para os indivíduos que já tiverem algum problema nos rins ou no fígado, a glutamina é contraindicada.

Temos mais bactérias do que células em nosso organismo. Estima-se que apenas o intestino tenha dez vezes mais bactérias e 100 vezes mais material genético do que células. Então, para manter o bom desempenho intestinal, o organismo fortalecido e a energia muscular, a glutamina é essencial.

Uma dieta rica em aminoácidos, que são capazes de formar as proteínas, é fundamental tanto para quem quer otimizar os treinos quanto para aqueles que buscam apenas o bom funcionamento de vários órgãos e tecidos.

Portanto, invista na sua saúde. Não siga a dieta de outras pessoas ou compre medicamentos de procedência duvidosa. Trata-se de economias que podem trazer gastos muito maiores e problemas para reverter seus efeitos.

Gostou de saber mais sobre a glutamina e quer aprofundar seus conhecimentos sobre hábitos saudáveis de alimentação ou suplementação? Assine nossa newsletter e receba os próximos conteúdos diretamente no seu e-mail!

Autor: André Alves da Silva

Criador da nutrição esportiva em farmácias de manipulação no Brasil. Sócio e CEO da Órion Farmácia de Manipulação Esportiva.

(0) Comentários

Deixe um comentário